Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.uricer.edu.br/handle/35974/301
Tipo de documento: Trabalho de Conclusão de Curso
Autor(es): Magnan, Gabrielle
Orientador(es): Biasus, Felipe
Título principal: O manicômio em nós: desafios para a consolidação da reforma psiquiátrica brasileira
Publicação: 2018
Resumo: O presente estudo, de cunho exploratório e método hermenêutico, objetivou realizar uma análise a respeito do conceito de lógica manicomial, investigando se, de alguma forma, as ações ofertadas pelos serviços abertos de saúde mental no Brasil ainda reproduzem esta forma de cuidado, mesmo após todas as conquistas obtidas na área nas últimas décadas. Para tanto, descreveram-se os avanços e retrocessos da Luta Antimanicomial e da Reforma Psiquiátrica Brasileira, com vistas a identificar, na atualidade, quais são as práticas assistenciais que ainda replicam este modelo, obsoleto e ineficaz, assinalando os possíveis desafios para a sua superação. A metodologia utilizada foi o levantamento bibliográfico, nas bases de dados Lilacs, Scielo e Portal de Periódicos Capes, de artigos publicados em língua portuguesa, nos últimos 5 (cinco) anos. Por meio da compilação dos dados obtidos, como resultados, verificou-se que o ‘circuito especial’ onde o sujeito em sofrimento psíquico pode transitar aumentou nos últimos anos, porém, sua reinserção social, de fato, ainda não foi possível, pois sua liberdade se mantém reduzida aos poucos locais que o ‘aceitam’. Isso se deve, especialmente, aos (des)interesses políticos e econômicos, (des)interesse e forma de atuação de profissionais e gestores, assim como pelas dificuldades na consolidação das Redes de Atenção à Saúde, especialmente a Psicossocial, fatores que contribuem, sobremaneira, para manter vivo ‘o manicômio em nós’, que teima em aniquilar existências e produzir relações sociais que não suportam a diferença.
Abstract/Resumen: This exploratory and hermeneutical study aimed to analyze the concept of asylum logic, investigating whether, in any way, the actions offered by the open mental health services in Brazil still reproduce this form of care, even after achievements in the area in recent decades. In order to do so, we describe the advances and setbacks of the Antimanicomial Struggle and the Brazilian Psychiatric Reform, in order to identify, at present, which assistance practices still replicate this obsolete and ineffective model, pointing out the possible challenges for overcoming it. The methodology used was the bibliographical survey, in the databases Lilacs, Scielo and Portal de Periodical Capes, of articles published in Portuguese, in the last 5 (five) years. Through the compilation of the obtained data, as results, it was verified that the 'special circuit' where the subject in psychic suffering can transit increased in the last years, however, its social reinsertion, in fact, has not yet been possible, because its freedom it remains reduced to the few places that 'accept' it. This is due, in particular, to the political and economic (dis)interests, (dis)interest and manner of action of professionals and managers, as well as the difficulties in consolidating the Care Networks, especially Psychosocial, which contribute, alive 'the insane asylum in us', which insists on annihilating existences and producing social relations that do not support difference.
Assunto(s): Psicologia
Saúde mental
Serviços de saúde mental
Políticas públicas de saúde
Instituição: Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões
Sigla da Instituição: URI Erechim
Curso/Programa: Especialização em Psicologia Clínica e Saúde Mental
Departamento: Ciências Humanas
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Ciências Humanas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Gabrielle Magnan.pdf518,47 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.